PMG ARQUITETANDO POR AÍ

PMG ARQUITETANDO POR AÍ
A PMG É O RESULTADO DA UNIÃO DE TRÊS PROFISSIONAIS APAIXONADAS POR CRIAR E TRANSFORMAR ROTINAS, SEMPRE VISANDO A MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA DOS SEUS CLIENTES. PARA TANTO, ATUAM NO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS, REESTRUTURAM ESPAÇOS, CHEGANDO ATÉ À ORGANIZAÇÃO DOS MESMOS. UTILIZANDO CONHECIMENTOS ARQUITETÔNICOS ALIADOS ÀS TÉCNICAS DE ORGANIZAÇÃO RESIDENCIAL, COMERCIAL, TREINAMENTO DE DOMÉSTICAS E ORGANIZAÇÃO DE MUDANÇAS, SE DISPÕEM A MELHORAR OS SEUS DIAS COM UM CUSTO BEM ABAIXO DO IMAGINADO. SEJA QUAL FOR O TAMANHO DA SUA NECESSIDADE, ENTRE E CONHEÇA UM POUCO DO QUE ELAS SÃO CAPAZES. AQUI, Patricia, Marília E Gabrielle COMPARTILHAM DICAS E DIVULGAM OS SEUS CONTATOS...

15/09/2012

ARTIGOS




Porta chaves c/ talheres - DETALHE



Preciso concordar que, na tentativa de incorporar a reciclagem aos nossos hábitos diários, estamos sempre nos deparando com ideias surpreendentes. Mas confesso que, nunca pensei em ver talheres, sendo usados, dessa forma. Temos que admitir: CRIATIVIDADE É TUDO!!!




Mesa dia a dia - DETALHE
 
 
Reunião mensal de amigos - DETALHE


Encontros de final de semana - DETALHE



Apesar dos novos tempos, precisamos lembrar as funções originais dos nossos fieis "companheiros". Também através dos talheres, podemos transmitir acolhimento, atenção e até carinho para com aqueles que fazem parte das nossas vidas. Família toda à mesa em pelo menos uma das refeições, reunião mensal de amigos,  encontros descontraídos de final de semana e até aquela "tensa" visita do chefe??? Essas serão sempre oportunidades maravilhosas para nos expressarmos.

Das quatro situações apresentadas, as três primeiras foram fáceis, mas para a suposta visita do chefe, só recorrendo à Esther Proença Soares...


Mesa arrumada, sem gafe nem estresse

 

Diversos tipos de garfos, facas, colheres, além de taças de formas e tamanhos variados: o que usar primeiro? Essa dúvida passará longe depois de você ler esta reportagem.


A autora do livro A Mesa – Arranjo e Etiqueta (Editora Manole) e do DVD Está na Mesa – Arranjo, Etiqueta, Comportamentos, a paulistana Esther Proença Soares é expert no tema. Acostumada a dar cursos, ela sempre incorpora novos assuntos ao repertório, a exemplo de como se portar em um restaurante japonês. Mas algumas dúvidas continuam as mesmas, não importa quanto tempo passe. Em que ordem manusear os talheres? Onde colocar os copos? Tudo bem cortar o macarrão? As respostas para essas e outras dúvidas estão logo abaixo. Antes, porém, trate de relaxar: “Sofisticação exagerada deixa qualquer um inibido”, diz Esther. “A regra mais importante é adequar a etiqueta ao estilo da reunião e ao perfil dos convidados."
 
Antes de tudo, defina o tipo de serviço:
 
No formato mais simples, há lugares para todos se sentarem e as travessas ficam à mesa, de modo que cada um se sirva. Quem dispõe de um aparador pode usá-lo como apoio para os alimentos.
Se a mesa for pequena, o serviço americano é a melhor solução. Os pratos ficam empilhados e os talheres concentrados perto deles – a comida é o destaque sobre a mesa. Cada um se serve e se acomoda onde preferir. Siga a dica da consultora: “Tire as cadeiras para que ninguém resolva sentar-se à mesa, o que poderia atrapalhar os demais.”
O serviço à francesa depende de garçons treinados. Eles trazem bebidas e travessas e oferecem aos convidados, que ficam sentados. “Muito elegante, porém nada prático”, avalia Esther.

Saiba por que existem taças com tantas dimensões diferentes:




Não é pura convenção: segundo os degustadores profissionais, o desenho dos copos permite aproveitar ao máximo cada bebida. O fundo bojudo das taças, por exemplo, serve para mexer o vinho e desprender os aromas, enquanto a boca mais estreita os direciona para o nariz.
Fabricantes especializados contam com taças específicas até para tipos determinados de uva. Quem não tem olfato tão apurado pode – e deve – simplificar. Com o enxoval básico da foto, é possível servir corretamente sem fazer feio. Repare que há, inclusive, uma taça reservada para a água.
No caso dos espumantes, a flûte, alta e magrinha, substitui o antigo modelo baixo e largo. Mas, se você guarda peças de estimação e gosta delas, por que não usá-las?
Uma medida simples para evitar o acúmulo de louça suja são os marcadores de copos. Assim os convidados não precisam pegar outros limpos a todo momento. Atualmente, é fácil encontrá-los nas lojas – um dos modelos que resolvem bem a questão são as argolinhas de várias cores, presas ao pé das taças.



No esquema acima, você confere a posição correta de pratos, talheres e copos. “Mas só se coloca na mesa o que vai ser necessário, de acordo com o cardápio”, avisa Esther.

A disposição dos talheres obedece à ordem em que serão usados, de fora para dentro. As facas ficam à direita, com o corte virado para o prato, e os garfos, à esquerda. As colheres são para os caldos: a maior acompanha o prato fundo comum e a menor é para a sopa servida em tigelinha.

No alto do sousplat – base que recebe prato raso e, dentro dele, prato fundo –, vão os talheres de sobremesa. Observe que colher e faca têm os cabos virados para a direita e o garfo fica ao contrário.

O guardanapo de pano, já dobrado(com ou sem argola), pode ficar sobre o prato ou à esquerda dele.

Coloque o pratinho de pão no alto, à esquerda. O lado oposto fica reservado às taças, em linha reta ou na diagonal. A de água mais ao centro, depois a de espumante, vinho tinto e vinho branco, nessa sequência. “Elas não precisam pertencer ao mesmo jogo”, ensina a consultora.

O marcador de lugar não tem ponto definido, sequer é obrigatório. Porém, como é uma ideia charmosa, aproveite para inventar modos originais de exibi-lo.

O chá ou café pode ser servido à mesa ou posteriormente, em outro lugar da casa.



Etiqueta: é bom e todo mundo gosta

Abrir a porta de casa aos amigos sempre dá um friozinho na barriga, mesmo para quem está acostumado. Afinal, quem não gosta de impressionar, de mostrar que todos aqueles detalhes foram pensados com carinho? Conhecer as regras básicas de etiqueta ajuda muito nessa hora – sem surpresas desagradáveis nem saias justas, qualquer encontro fica mais saboroso. Confira, a seguir, outras dicas preciosas – e fáceis de seguir – da consultora Esther Proença Soares.


A decoração

● Nenhuma peça ou arranjo de flores no centro da mesa deve ser mais alto do que 25 cm. Assim, não se bloqueia a visão entre as pessoas. Exceto no serviço à americana: como ninguém estará sentado à mesa, arranjos mais altos estão liberados.
● Quando usar castiçais, acenda as velas e deixe as luzes do teto apagadas ou reduzidas. É o jeito certeiro de se criar uma atmosfera mágica.
● Atenção ao tamanho da toalha de mesa: ela deve tocar o assento das cadeiras, sem ficar dobrada.


A chegada

● É de bom tom levar flores, uma pequena lembrança ou uma pequena caixa de chocolates quando se vai pela primeira vez à casa de alguém. Vinho ou outra bebida, só para amigos íntimos.
● Pelo menos um dos anfitriões deverá receber os convidados à porta de entrada. Se você mora em apartamento, aguarde-os no hall do elevador assim que o zelador anunciar que estão subindo.
● Se ganhar flores de um convidado, coloque-as imediatamente em um vaso, em lugar de destaque.
● Comece a servir os aperitivos, assim que chegar o primeiro convidado.


A hora da refeição

● A faca de peixe não tem serra porque deve ser usada apenas para afastar peles e espinhas.
● Use a faca de carne somente para cortar carnes vermelhas ou aves. Omeletes, ovos, verduras e tortas devem ser cortados com o garfo.
● Se não quiser determinada bebida, faça um gesto leve com a mão. Não cubra o copo.
● Jamais corte massas italianas com a faca. Enrole poucos fios em torno do garfo. Usar uma colher de sopa, pode ajudar. Mas é hábito somente no Sul da Itália – evite.
● Servem-se apenas 2/3 dos copos ou xícaras, não importa a bebida.
● Os anfitriões devem ser os últimos a cruzar os talheres no final da refeição. Cabe à anfitriã convidar as pessoas para saírem da mesa.


Nem pensar

● Paliteiros para uso, jamais! Se forem peças antigas, podem servir de adorno, mas sem os palitos. Eles não devem entrar em cena nem mesmo durante os aperitivos: salgadinhos (até azeitonas) são segurados com os dedos.
● Molhar um pedacinho de pão no tentador molho da carne não é correto em mesas formais. Só entre amigos.
● Se o convidado deixou comida no prato, não pergunte o porquê.
● Nada de insistir para que os convivas repitam.


Texto: Flávia Pinho
Fotos: Cintia Sanchez
Reportagem Visual: Tatiana Guardian





Fonte artigo: http://casa.abril.com.br/
Fonte imagens: INTERNET

2 comentários:

  1. Como adoooooooooooro cozinha... amei esse post...dicas super importantes! Já vou compartilhar com minhas amigas do face... amei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela divulgação, amiga!!! Vc, como sempre nota 1000... Bjão

      Excluir

Deixe aqui seu comentário...