PMG ARQUITETANDO POR AÍ

PMG ARQUITETANDO POR AÍ
Aqui, o assunto é transformar rotinas engessadas, visando a melhoria da qualidade de vida dos envolvidos. Como assim? Com conhecimentos arquitetônicos aliados à técnicas de organização, residenciais ou comerciais, espaços são reestruturados com custo bem inferior ao previsto. Independente do tamanho da sua necessidade, conheça um pouco dessa história e encontre respostas para modificar a sua. Aguardo você...

17/03/2013

O "X" DA QUESTÃO



"Os limites devem ser colocados na primeira infância,
quando se constroem as bases da personalidade."
Adriana Friedmann



Início do ano letivo, reuniões de pais. Duas filhas, duas noites seguidas. Entre apresentação das propostas de trabalho e questionamentos antecipados dos pais mais ansiosos, lá do meu cantinho, pude perceber muitas coisas. Penso que, os inúmeros problemas levantados podem convergir para apenas um: falta de hábito/horário de estudo. Lembrando nosso trabalho árduo de poucos anos atrás, penso que persistência é o ingrediente determinante no sucesso da empreitada. Afinal, guiar personalidades distintas requer muito dos pais. Então, desistir jamais! E posso garantir que vale a pena. Hoje, com 10/12 anos, elas não precisam de estímulo algum para fazerem suas tarefas de casa, muito menos estudarem. 



Primeiras tarefas de casa!?
Sem exageros, apenas o básico.

 
Que tal tentarem personalizar
aquele antigo cantinho??




À medida que forem crescendo,
atenção às adaptações necessárias.


E para manter o foco dessa galera!?
Nada de tv, iPad, iPod, iPod touch ou iPhone.



Mas afinal, em se tratando de uma arquiteta e um engenheiro mecânico, sem preparo acadêmico na área de educação, qual terá sido o diferencial?? Não sei dizer, lembro apenas de uma enorme vontade de acertar. Presentes na vida escolar delas, desde muito cedo, estivemos sempre atentos às sugestões da escola, nossa única parceira. Proporcionamos os "cantinhos de estudo" e procuramos mesclar os horários da tarefa de casa com momentos de lazer, sempre usando de criatividade e respeitando os limites financeiros da família. Firmes e cúmplices, estimulamos, acompanhamos e aplaudimos tanto soluções criativas como pequenas conquistas. Acharam fácil?? Descrito desta forma, até pode parecer!!

Madeira, metal ou vidro??
O que o orçamento permitir!!


Lembrem que deixar tudo à mão,
pode ser uma saída muito sedutora.


Tendo-nos na retaguarda, as transformações físicas do espaço foram acontecendo ao longo do tempo para acompanhar o crescimento das estudantes. E com isso, os "frutos" de todo o trabalho vêm sendo "colhidos" diariamente. Atenção dos pais, gerando crescimento dos filhos. E assim, seguem os dias, sem maiores conflitos nem polêmicas. Desta forma, ao longo da nossa convivência familiar, foi ficando muito claro que, paralelarmente à nossas obrigações de pais, está a obrigação das filhas. Na esperança de estarmos fazendo a coisa certa, preciso acrescentar ao meu repertório, além do já conhecido "viver é um trabalho de equipe", o "desconheço trabalho mais difícil e mais prazeroso que EDUCAR"...



Organizador com capa de caderno,
elásticos coloridos e potes plásticos.


Completamente sem tempo??
Caixas coloridas disponíveis no mercado.


Fonte imagens: INTERNET   

2 comentários:

  1. Parabéns pelo relato e resultado das ações! Tudo muito lindo, mas como fazer quando o orçamento é curto? Aqui, pais deseperados...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desespero inevitável!! Quem não ja passou por isso!? Usem o que tiverem ao alcance. Tudo é válido: mesa plástica ou até porta velha forrada sobre dois cavaletes. Agora, para dar aquele charme ao cantinho, apenas criatividade. Porta lápis de latinhas recicladas, apliques de parede, paineis em placas de cortiça. Se puderem envolver os filhos, melhor ainda. As imagens apresentadas são meras referências. Basta adaptá-las à realidade da família... Boa sorte!!

      Excluir

Deixe aqui seu comentário...