PMG ARQUITETANDO POR AÍ

PMG ARQUITETANDO POR AÍ
Aqui, o assunto é transformar rotinas engessadas, visando a melhoria da qualidade de vida dos envolvidos. Como assim? Com conhecimentos arquitetônicos aliados à técnicas de organização, residenciais ou comerciais, espaços são reestruturados com custo bem inferior ao previsto. Independente do tamanho da sua necessidade, conheça um pouco dessa história e encontre respostas para modificar a sua. Aguardo você...

11/09/2016

ACUMULA DORES


Acumuladores? O papo é sério...




Curioso como a maioria dos profissionais que "mexem" com organização, seja residencial ou corporativa, quando vestem os seus uniformes de trabalho, sejam eles quais forem, costumam enfrentar qualquer parada. Costumeiramente, não temem depoimentos pessimistas, muito menos ambientes caóticos. Contudo, em se tratando de acumuladores, e visando o sucesso da organização, precisam admitir a necessidade de ajuda extra.
Nessa vibe, a pmg, visando capacitação profissional na área desafiadora dos que acumulam dores, vem tentando se informar para melhor agir, também, na melhoria dessas rotinas. E, na incansável busca por informação, precisamos admitir se tratar de uma patologia real, onde o sucesso da nossa atuação estará diretamente ligada ao profissional "da mente" que possa estar colado conosco. Segue artigo!! Informem-se também... ❤ ❤  




Conheça os Acumuladores Compulsivos, doença comum, mas pouco conhecida.


Pessoas que convivem com acumuladores compulsivos, também são vítimas dessa doença, vivem, também, no meio de empilhamento de objetos.

Acumuladores complusivos ou acumulação patológica, também conhecida como síndrome da miséria senil, ou síndorme de Diógenes (Diógenes era um mendigo que vivia na rua e guardava objetos sem valor) é uma perturbação que leva a pessoa a acumular objetos que, muitas vezes, pode m ser até provenientes do lixo.
É desconhecida por muitos, mas está presente em alguna lares de todo o mundo. Esta síndrome impede a pessoa de realizar tarefas do dia a dia, diminui a mobilidade, interfere nos hábitos alimentares e da saúde; sua casa é desorganizada e cheia de objetos sem função.
O acumulador passa uma imagem de vida normal, até que adentrem a sua casa. Geralmente, junta revistas, livros, ferramentas, recipientes, metal, eletrodomésticos e muitos outros objetos.
Na fase avançada da doença, acumulam objetos sujos com odores fétidos, facilitando a entrada de roedores e insetos na residência. A vontade de comprar, recolher, amontoar e acumular é incontrolável.
Os acumuladores também podem acumular aninais de estimação, sem limites e sem se preocupar com a higiene ou saúde deles e das pessoas que vivem na casa.
Esta doença inicia de forma lenta e vai evoluindo progressivamente; os pacientes ficam isolados, deprimidos e, muitas vezes, não conseguem cuidar de si.
Um acumulador não pode ser confundido com um colecionador, já que este guarda objetos específicos com muito apego para vendas ou trocas. Já o acumulador, junta objetos de forma exacerbada, que outras pessoas jogariam no lixo.

Sinais importantes que indicam acumulação compulsiva
  • Recolhem objetos que os vizinhos não querem mais;
  • Não têm capacidade de usar a casa para a finalidade pretendida (cozinha para cozinhar, banheiro para higiene pessoal e quarto, somente, para dormir);
  • Amontoam objetos de valores junto com sucatas;
  • Jornais e revistas estão empilhados pela casa.

Causas

É uma perturbação mental que não nasce com as pessoas, acontece por diversos fatores: morte de um familiar, perdas financeiras, conflitos pessoais, familiares e desestrutura familiar (como separação). A síndrome acontece mais em idosos, porém pessoas mais jovens podem ser acomentidas pela doença, principalmente, as com esquizofrenia e transtorno obsessivo compulsivo (TOC).

Lidar com o problema

Para o acumulador, não existe problemas com sua saúde, dificilmente admite que guarda objetos em excesso, mas achar que não está doente, já é um sintoma da doença.
Lidar com o acumulador não é uma tarefa fácil, exige compreensão e paciência. A limpeza da casa não é o melhor a fazer, pois o acumulador irá ter uma sensação de perda, vazio grande e acumulará tudo de novo.
O melhor caminho é procurar ajuda de um profissional, pois a tendência da doença é evoluir cada vez mais. O diagnóstico rápido e correto evita um acúmulo maior de objetos e/ou animais. Geralmente é feito por um médico da família ou um psiquiatra.





Fonte: br.blastingnews.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário...